Preencha o formulário



 Estou com dúvidas Gostaria de doar como pessoa física



Depósito em Conta Corrente

Você pode doar depositar diretamente em nossa conta corrente.

Banco HSBC
Conta Corrente: 1559374
Agência: 1748
CNPJ: 76.613.835/00001-89
Em nome da Irmandade da Santa Casa de Curitiba

Materiais de insumos

Você pode doar materiais ou insumos utilizados pelas nossas unidades.

Seguem algumas opções:

  • Materiais de higiene pessoal adulto ou infantil;
  • Fraldas geriátricas ou para bebês;
  • Alimentos não perecíveis;
  • Equipamentos de costura;
  • Enxovais adulto ou para berço.

Entre em contato pelo 0800 645 1800 e para saber de outras necessidades.


Seja um voluntário

“Somos todos anjos com uma asa só; e só podemos voar quando abraçados uns aos outros.”Luciano de Crescenzo

O que o voluntário da Santa Casa faz?

  • Oferece acolhida e presença ao paciente e seus familiares, conduzindo o paciente e o familiar no ambiente hospitalar;
  • Orienta o familiar e/ou visitante na localização de serviços e setores do hospital;
  • Auxilia o setor de hotelaria na conservação do enxoval (consertos e reparos de roupas);
  • Leva alegria e descontração com contação de histórias, música e encenação lúdicas.

Como se tornar um voluntário?

Para você, que deseja se engajar em atividade voluntária em uma de nossas unidades, deverá seguir quatro passos:

  • 1º Passo – Assistir Palestra aberta e gratuita ao público, administrada pelo Centro de Ação Voluntária de Curitiba. A palestra “Ser Voluntário” fala sobre como se tornar um voluntário dentro da Lei específica do Serviço Voluntário. Agende sua participação pelo telefone (41) 3322-8076.
  • 2º Passo – Agendar sua entrevista com a coordenação do Núcleo SV da unidade que você escolheu, por meio dos contatos: Hospital Santa Casa de Curitiba pelo telefone (41) 3320-3795 ou pelo e-mail voluntariado.scc@pucpr.br
  • 3º Passo – Participar do Programa Acolher – Sua integração com a Instituição. Você irá conhecer a unidade a história, normas, rotinas e procedimentos.
  • 4º Passo – Assinar o Termo de Adesão ao Serviço Voluntário da Instituição. Pronto, daí para frente é com você!

Que pessoas podem participar da atividade voluntária?

  • Pessoas com idade igual ou superior a 18 anos;
  • Física e emocionalmente apta para atuar em instituição de saúde.

Existem restrições?

Sim. Pessoas que não podem participar do processo de adesão:

  • Colaboradores e ex-colaboradores da APC/AS – PUC-Santa Casa;
  • Estudantes de Cursos da Área de Saúde;
  • Pessoas com intenção de participar de processo seletivo da Instituição.

Qual é o compromisso semanal/diário, que a pessoa deve ter aceitando trabalhar como voluntário?
O compromisso está na disponibilidade do voluntário, sendo que não deverá ultrapassar 15 (quinze) horas semanais. Assim, você poderá administrar seu tempo no período de 2ª a 6ª feira das 8h às 17h30 e aos sábados das 8h às 12h. O voluntário escolhe o dia e horário, bem como o tempo/horário em que ficará disponível na unidade.

Existe uma preparação para estas pessoas?

Sim. Além do Programa Acolher, o voluntário irá receber toda a orientação prática que for necessária para realizar sua atividade, como nosso treinamento “Sentindo na Pele” onde terá a oportunidade de vivenciar a condução realizada com cadeiras de rodas e macas, por exemplo. Também irá participar do Programa de Desenvolvimento que engloba a Formação Humana e Técnica da equipe.

Em que setor do hospital o voluntário pode atuar?

O voluntário é orientado e preparado para atuar em todo o hospital na realização de atividade que são de competência do NSV (Núcleo de Serviço de Voluntariado). Com restrição às áreas sinalizadas pelo Serviço de Controle de Infecção Hospitalar

Que repercussão tem a atuação do voluntário na recuperação das pessoas atendidas pela Instituição?

A atuação do voluntário é o diferencial do tratamento humanizado em nossas unidades hospitalares. A presença significativa do voluntário não só com o paciente e seus familiares, mas interagindo com os colaboradores, auxilia no desenvolvimento de uma cultura de humanização e solidariedade.